Páginas

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

“ O que Darwin não podia saber” [Parte-1]

Essa é a primeira parte de um artigo escrito pelo Dr.Werner Gitt,o artigo vai tratar essa semana a questão evolucionista ou darwinista,ele vai abordar varios pontos importantes,falando que Darwin não pode ver várias coisas e tendo assim no ponto de vista cristão,uma visão equivocada em sua teoria.Como meu blog é um blog Cristão então todos os post estão ligado a bíblia,leia a primeira parte e brevemente estarei postando as duas últimas.Um grande abraço e obrigado pela visita em meu blog e que não vos conformeis com este século !



Para celebrar o “ano de Darwin” em 2009, a revista alemã
Die Zeit publicou um artigo de duas páginas com a manchete “Muito obrigado, Darwin!”, acompanhado de quatro páginas falando sobre evolução. Esse agradecimento foi para um homem que nasceu há 200 anos. Seu “revolucionário” livro A Origem das Espécies foi publicado há 150 anos. [Naquela época, nada se sabia sobre o DNA, o armazenamento de informações genéticas e sua transmissão].

O filósofo Immanuel Kant (1724-1804) já afirmava, cheio de orgulho:
“Dêem-me matéria, e dela farei um mundo”. Cinqüenta anos mais tarde, o matemático e astrônomo francês Laplace (1749-1827) vangloriava-se diante de Napoleão: “Minhas teorias não precisam da hipótese chamada ‘Deus’.”

 Esses e outros pais do ateísmo científico buscavam uma explicação para a origem da vida em que Deus pudesse ser descartado. A resposta aparentemente salvadora veio de Darwin, que tornou viável explicar a origem da vida “de forma natural”. Enquanto ele próprio ainda era reticente em relação às implicações de sua teoria, hoje o mundo, cada vez mais ímpio,aclama seu patrono em manchetes sem fim.

Até a viagem de Darwin às ilhas Galápagos em 1835, acreditava-se no filósofo grego Aristóteles, que dizia que as espécies são imutáveis. Mas sua conclusão seguinte, de que toda a vida viria de uma árvore genealógica comum, não é cientificamente defensável. O próprio Darwin percebeu que uma grande fraqueza de sua teoria era a inexistência, na natureza, de fósseis de formas intermediárias. Mesmo assim, seguindo a doutrina darwinista, o homem perdeu sua posição especial atribuída pelo Criador e passou a ser apenas um ser mais evoluído no reino animal.


A reprodução sexuada:


Conforme a teoria da evolução, a “descoberta” da reprodução sexuada seria uma condição decisiva para o desenvolvimento progressivo dos seres vivos. Através de combinações genéticas sempre novas, surgem muitas variedades, das quais as mais adaptadas ao seu ambiente sobrevivem ao processo de seleção. Duas razões, porém, eliminam esse processo na almejada tendência ascendente no desenvolvimento de uma linhagem:


 1.
A reprodução sexuada nem pode começar por um processo evolutivo. Ela apenas seria possível se ambos os sexos dispusessem simultaneamente de órgãos prontos e plenamente funcionais. Entretanto, na evolução, por definição, não existem estratégias planejadas ou direcionadas. Como o desenvolvimento dos órgãos necessários à reprodução poderia estender-se por milhares de gerações se os seres vivos nem conseguem se reproduzir sem esses órgãos?

2.
Ainda que admitíssemos a possibilidade da reprodução sexuada ter “caído do céu”, mesmo assim não surgiria nova informação na mistura da carga genética. Em suas muitas experiências, criadores de plantas e animais demonstraram que vacas altamente aperfeiçoadas geneticamente continuaram sendo vacas, e que o trigo jamais produziu girassóis. A chamada microevolução (mutação dentro de uma espécie) é verificável cientificamente; de uma macroevolução (mutação que ultrapasse as fronteiras das espécies) falta toda e qualquer prova.


Técnica genial nos glóbulos vermelhos:


Em cada gota de sangue temos aproximadamente 5 milhões de glóbulos vermelhos. Eles são como mini-submarinos altamente especializados que, ao invés de levarem a bordo torpedos mortais, realizam algo extremamente vital.

• 175.000 vezes durante seus 120 dias de vida eles são abastecidos com oxigênio, enquanto descarregam no pulmão o gás carbônico (CO2), resíduo que se forma pelo processo de oxidação.
• Esses minúsculos navios cargueiros são tão pequenos que conseguem ultrapassar os mais finos vasos capilares, chegando a todas as partes do corpo.
• A cada segundo são gerados dois milhões de novos glóbulos vermelhos, que contêm a hemoglobina (que dá a cor vermelha ao sangue), uma composição química muito notável e complexa.



A hemoglobina:



A hemoglobina,é necessária para o transporte de oxigênio já na fase de desenvolvimento embrional. Evidentemente, até o terceiro mês as necessidades de oxigênio são diferentes do que no estágio fetal (a partir do terceiro mês), e por isso faz-se necessário um tipo distinto de hemoglobina, de composição química diferente. Pouco antes do parto, as fábricas celulares voltam a funcionar a todo vapor para realizar a alteração para hemoglobina adulta. Os três tipos de hemoglobina não poderiam ser descobertos pelo caminho evolutivo, através da experimentação, porque as outras variantes não transportariam oxigênio suficiente, o que seria fatal para o ser vivo supostamente em evolução.Esse conceito de complexidade não-redutível também é válido para o sistema imunológico do organismo humano ou para o flagelo com que as bactérias se locomovem.

De onde vem um mecanismo tão complicado?
Aqui toda e qualquer idéia de evolução falha completamente, pois em seus estágios semi-prontos, que segundo a evolução teriam conduzido a esse mecanismo tão complexo, esses seres vivos nem poderiam ter sobrevivido.
Mais uma vez, vemos que os seres vivos não teriam sobrevivido em sua “jornada” até seu estágio atual se este fosse atingido por processos evolutivos. É mais razoável admitir que tudo esteve pronto desde o princípio, o que somente é possível se um
Criador planejou e criou tudo funcionando plenamente desde seu começo… (Clique aqui e continue lendo,Parte-2).

2 comentários:

James Rocha disse...

Não concordei totalmente, a teoria de Darwin, tinha suas falhas por ele não saber responder algumas perguntas simples, mas anos depois dele ter morrido, apareceram dois caras que conseguiram responder isso, através da genética.

A explicação é que a partir de mutações genéticas, as mutações boas viviam, as ruins (mutação para pior) eram descartadas (extintas), processo que ainda acontece hoje em dia, mas geralmente são ruins, como as doenças genéticas.

Acredito que Deus criou tudo na Terra, mas também acredito que a linguagem da Bíblia é bastante simbólica, mesmo lendo diversas vezes, você nunca terá conhecimento de 100% dela.

Abraço!

28 de outubro de 2010 20:23
Breno Weverton disse...

Bem...a Teoria Darwinista,James falhou em vários aspectos no que resulta que ela estaria totalmente falha a respeito da existência da vida.Há vários erros onde que se analisamos bem a Teoria não explica como surgiu a vida,só explica como evoluiu pra ser o que é hoje,mesmo assim possuem grandes falhas.

28 de outubro de 2010 20:28

Postar um comentário

Rádio :

Seguidores